6.2.08

Hoje no ponto de ônibus

Estava esperando no ponto de ônibus ao lado da minha namorada. Do meu lado direito uma senhora negra andrógina, com óculos redondos, unhas coloridas brilhantes, faixa nos cabelos ralos e curtos, quase nenhum dente na boca. Fumando. Eu não fumo, mas também não tenho nenhum problema com cigarro. Nunca reclamo quando acendem um perto de mim. Uma baforada veio na direção do meu nariz. Fiz uma careta involuntária.
_Desculpe.
_Tudo bem.
_Você não fuma, né?
_Não, mas tudo bem.
_Nossa! Você tem cara de artista. Parece um ator.
_Obrigado.
(Nessa parte eu não entendo se ela diz ´com essa sobrancelha e essa barba` ou ´sem essa sobrancelha e essa barba´ você fica tudo de bom).
_Valeu!
_Você nunca pensou em ser ator? Não gosta do meio artístico?
_Gosto sim, já estou fazendo umas coisas. _ Afirmei lembrando dos meus videozinhos pro site da Mundo Estranho.
_Ah, então você já está encaminhado. Já ta encaminhado ,né? Quero te ver um dia na Malhação. Todo mundo começa na Malhação,né? Todo ano, janeiro tem o curso de atores do Tablado, é muito bom lá.
Comecei a estranhar o fato dela insistir tanto na conversa e a aparente familiaridade que aquela velhinha simples tinha com o assunto. Ela tinha umas expressões de bicha velha e pela cara ficava meio difícil ter certeza se era um cara maquiado ou uma senhora, mas eu reparei que ela tinha seios.
_Vou ver se corro atrás disso.
_Tem um monte de albergue perto do Tablado. Lá no morro de x(não lembro se era o Morro de Santa Teresa, Santa Bárbara, sei lá) ta cheio de albergue baratinho pra você ficar. Você não gasta quase nada.
_É, tem que ir lá pro Rio, né? Lá tem mais oportunidades...
_É, lá é mais fácil. Aqui em São Paulo só se você estourar numa peça ou num filme. Você pode arrumar um emprego de figurante. Você viu o tanto de figurante que foi revelado no filme Carandiru?
Um mendigão estava parado na nossa frente com a mão estendida pra tiazinha.
_Oh, meu filho, eu não tenho nada não, olha pra mim! Eu tenho cara de quem tem alguma coisa?! Não dá pra ajudar não... _ Desmunhecou a velha, que nem uma bicha.
O ônibus chegou.
_Tchau!
_Tchau, meu filho. Boa sorte.
Minha namorada nem tinha reparado nela.
_Amor, era homem ou era mulher?
_Nem reparei. O que ela te falou?
Contei essa história pra ela.
_Ah, amor. Não era homem nem mulher. Era uma entidade.
Preferi acreditar que sim. Fica mais bonito terminar a história desse jeito.

5 comentários:

Bárbara dos Anjos Lima disse...

acho que o bairro é Santa Teresa, né? De Bárbara chega eu na tua vida. ;)
Mas essa história é emblemática, hein! Depois de ser reconhecido na rua e abençoado por uma entidade, o próximo passo só pode ser o sucesso!

Gabriel Ruiz disse...

Daora.
Só faltou sacar o celular ou a câmera e tirar uma foto. Fiquei imaginando-a cá, mas queria vê-la!

um abraço
(eu não lembrei dos vídeos da mundo estranho, mas do Guido! :D

Marcia Oshiro disse...

olá, vim aqui te convidar pra conhecer meu blog podcast www.atalhocultural.blogspot.com

[ ]'s

Energizaizer's disse...

Entidade, anjo e Milhouse não tem sexo. Confia nessa entidade e caminha para seu futuro de fama, drogas, sexo e rock'n'roll.

felipe disse...

na verdade era eu. E eu sou você amanhã

Related Posts with Thumbnails